Robôs são a nova arma da indústria têxtil japonesa diante da concorrência - QuatroK Têxtil
Área Restrita

Novidades

Robôs são a nova arma da indústria têxtil japonesa diante da concorrência

Robôs são a nova arma da indústria têxtil japonesa diante da concorrência

No setor têxtil, onde a concorrência é feroz com base no uso de mão de obra barata, o Japão encontrou a resposta definitiva: os robôs. Na fábrica de ShimaSeiki, no oeste do país, as roupas são feitas em poucos minutos, graças a máquinas capazes de elaborar uma camisa sem costura em meia hora com o simples apertar de um botão.
O sistema WholeGarment, patenteado pelo grupo japonês, também está sendo utilizado em outras partes do mundo por fabricantes como a marca italiana de luxo Max Mara. O sistema utilizado é de concepção digital: ele permite escolher modelo, cor e corte.

Com o sistema WholeGarment, um trabalhador administra simultaneamente 10 máquinas. Além disso, utiliza a quantidade certa de matéria prima para fabricar uma peça, já que com as máquinas o corte e a costura são desnecessários e não há sobras. Cerca de 800 empresas de todo o mundo utilizam este dispositivo, o que dá à ShimaSeiki uma parcela de mercado de 60% em nível planetário.Em 10 anos, as exportações de roupa japonesa de ponta aumentaram 40%.
Um exemplo é Seiren, conhecido por suas cortinas e interiores de carros. A empresa lançou uma linha de roupas sob medida, comercializadas com a marca Viscotecs, que desde setembro pode ser encontrada nas luxuosas lojas Takashimaya de Tóquio.

Os clientes podem escolher entre uma rica gama (modelos, tecidos, cores e tamanhos), proposta em um tablet que mostra uma foto da pessoa vestida com a roupa. Os dados de concepção são enviados de forma digital à fábrica de Seiren, no centro do país, onde a roupa é criada por máquinas de corte e impressoras de tinta e entregue à loja em um prazo de três semanas.

O processo também tem a virtude de poder transformar a indústria da moda, reduzindo o estoque de artigos não vendidos.Além disso, o uso de impressoras de tinta reduz em 80% a quantidade de água e eletricidade necessárias em relação ao processo clássico de tintura, segundo Nami Yoshida, porta-voz da Seiren. No entanto, as roupas em questão estão longe de se encontrar ao alcance de todos os bolsos. Para um vestido fabricado desta forma, é preciso desembolsar entre 65.000 e 80.000 ienes (600 a 730 dólares).

Fonte: IstoÉ Dinheiro

Conheça as malhas da quatrok:

Sintéticas Algodão Mistas